TRATORE ANO A ANO: 2004

Seguem os destaques para o ano de 2004:

Elza Soares – Vivo Feliz

Vivo Feliz foi um dos discos mais bonitos que passaram pela Tratore. Com produção de Arthur Joly do selo RecoHead, que está com a Tratore desde o começo em 2002, o disco leva a inconfundível voz de Elza para arranjos contemporâneos e rebuscados mas sempre preocupados em dar espaço para sua voz . Do arranjo para piano e voz “Eu gosto da minha terra” até faixas mais dançantes com forte presença da música black como nas faixas “Rio de Janeiro” e “Opinião” com um marcante naipe de metais e ritmo suingado. O lindo projeto gráfico foi desenvolvido pelo coletivo de artes visuais e multimídia BijaRi. O repertório contem canções que vão de Fred 04 a Zé Keti.

Naná Vasconcelos – Minha Lôa

Naná Vasconcelos é um dos mais importantes percussionistas vivos, já gravou com nomes que vão de B.B. King a Talking Heads, passando por Don Cherry, Laurie Anderson, Gato Barbieri, Pat Metheny, Mutantes, Milton Nascimento e Egberto Gismonti. Nesse disco autoral a voz e a percussão de Naná se misturam a camadas eletrônicas, mais ou menos veladas nas múltiplas linhas rítmicas das faixas. Em músicas como “Estrela Negra” os elementos eletrônicos vem à tona, em outras como “Voz Nagô” o que soa é música brasileira de raiz genuinamente africana . Fora essa obra prima, Naná Vasconcelos também está presente na Tratore com o Sementeira, disco que divide com Caíto Marcondes, Coração Quiáltera e Marcos Suzano.

Marcelo D2 apresenta Hip Hop Rio

Em 2004 Marcelo D2 organizou a coletânea Hip Hop Rio, através da qual apresentou para o público alguns importantes nomes do rap carioca. Entre os convidados estão: Mahal, 3 Preto, Black Alien & Speed, Inumanos, Negaativa, Bnegão, Nucleo Sucata Sound, DJ Negralha, Artigo 331, Esquadrão Zona Norte e o próprio Marcelo D2. O disco como um todo faz um ótimo trabalho de apresentar o Hip Hop carioca e é uma ótima amostragem do estilo do rap produzido no Rio de Janeiro. Uma faixa que se destaca tanto pela qualidade quanto pela importância histórica é a de Black Alien com Speed “Rude Boy Style” uma das últimas faixas gravadas pela dupla que seguiu carreira solo logo depois.  A grande maioria das faixas foram produzidas por Marcelo D2.

Próximo post vamos falar dos discos de 2005

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s