Série Vinil: 4 dicas para fabricar seu LP

testpressing4.jpg

por David Dines

Na Série Vinil dentro do blog da Tratore, já abordamos quais são os cuidados de finalização de áudio necessários ao pensar no lançamento de um LP. Mas quais outros cuidados é preciso ter ao preparar seu bolachão?

Uma vez que não há fábricas que produzam CDs e vinis simultaneamente, que especificidades de produção diferem uma mídia da outra? Confira:


1. Avalie bem a tiragem
Vinil ainda é uma mídia cara, em que se pode pagar cerca de R$ 20 a unidade no processo de produção, ao contrário do CD, cujo custo unitário médio chega a R$ 3. Grande parte das fábricas pelo mundo, inclusive a do Rio de Janeiro, aceita tiragens mínimas de 300 cópias. Apesar de a beleza do produto já ser um fator importante de geração de demanda, avalie bem quantas cópias produzir diante do seu público — e dos eventuais LPs que já serão distribuídos entre amigos, parceiros e apoiadores.

2. 150g ou 180g?
Há um fetiche entre audiófilos com o disco de vinil de 180g, que é mais pesado e imponente. No entanto, a qualidade de som em relação ao de 150g é basicamente a mesma, já que o sulco é microscópico. Em aspectos práticos não-visuais, a principal diferença do vinil de 180g é o fato de ser mais difícil de empenar (deformar com o uso ou armazenamento errados).

3. Exija teste da fábrica
Ouvir o áudio finalizado em formato digital tem grandes diferenças em relação ao vinil. Peça a seu fabricante um test press (uma cópia feita exatamente como o restante da produção será feita) ou, pelo menos, um dubplate de referência. Dubplate é o nome que se dá para a cópia em acetato, que é um material mais frágil e riscável, além de inflamável. As cópias de teste podem ter um custo extra considerável, mas vale a pena para não ter surpresas ao receber seu lote de discos prensados. Talvez você queira até mesmo refazer a masterização, diante do resultado.

4. Cuidado com a capa
Caso você escolha produzir a capa de forma independente ou contratar a produção dela com a fábrica, é bom acompanhar e avaliar o material. Dessa forma, você não correrá riscos de a capa ser menor do que o disco ou ser muito apertada, o que pode empená-lo. Cuidado também com o acabamento e a gramatura do papel da capa, para que não rasgue com facilidade e valorize a arte.

Você tem alguma dúvida ou dica que não abordamos aqui?

Conte para a gente nos comentários ou na nossa página no Facebook.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s