Atalhos Sonoros: como a Tratore e as Fábricas de Cultura incentivam músicos das periferias de São Paulo

 

IMG_4875[1]

por Lucas Lima

Com intuito de incentivar a produção e divulgação musical, a Tratore, em parceria com as Fábricas de Cultura, lançou o projeto Atalhos Sonoros em 2017. O que fazemos é convidar nosso time de artistas a irem até as fábricas e auxiliarem os músicos das unidades em questões de produção e arranjo musical. O resultado desta mentoria é a gravação de novas faixas, expostas na coletânea Atalhos Sonoros, que é distribuída em mais de 100 plataformas digitais.

Conheça os participantes e saiba mais sobre as edições futuras:

No ano passado, contamos com a colaboração de: Craca, NU – Naked Universe, Kátya Teixeira, São Yantó, e Apolo, que trabalharam com Sludge Hands, Marilu e o Velotrol, Lilia Garcia, Guto Andrade Trio, Marlon Machado, Nica Ortega, Harlley, Acauã, Viviane Abrahão, Bianca Cincinato e JF, todos artistas das Fábricas de Cultura.

Neste ano, os Prettos já foram até a Fábrica da Vila Nova Cachoeirinha e fizeram um trabalho de mentoria com a cantora Rê Suizu e com a banda Télema. Ao fim das atividades, todos os artistas se reúnem em um show, compartilhando o processo. Confira a apresentação da primeira edição de 2018 aqui

“O projeto Atalhos Sonoros oferece uma oportunidade para a ampliação dos serviços que são oferecidos pelas Fábricas, possibilitando que artistas que já passaram pelos nossos estúdios tenham acesso a discussões sobre o cenário musical, refletindo sobre diferentes formas de fortalecer seus projetos, e, também a vivências de processos de produção musical ao lado de artistas experientes e que incentivam o contato com outras linguagens musicais. As Fábricas também fortalecem seu vínculo com estes artistas e outros agentes do cenário musical, além de oferecerem ao público os pocket shows do projeto e o lançamento da coletânea do Atalhos Sonoros nas plataformas digitais”, comenta Murilo Muraah, responsável pela coordenação dos estúdios das Fábricas de Cultura.

Como sinalizado por Murilo, além da gravação das faixas, os músicos das Fábricas se apresentam, em conjunto com seus mentores, em pocket show aberto ao público. O projeto, além de mobilizar os artistas, conta com a colaboração dos funcionários das Fábricas de Cultura e da população que mora no entorno das unidades.

“As atividades contam com a participação de aprendizes, funcionários e frequentadores das Fábricas, que podem participar dos bate-papos, assistir aos pocket shows e até participar de gravações, como na edição ocorrida na Fábrica de Brasilândia”, comenta Murilo. “A expectativa é que em 2018 mais pessoas possam participar das atividades abertas, ampliando o acesso do público aos shows e atividades de formação”, completa.

Em quais Fábricas ocorrem as edições do Atalhos Sonoros?

As Fábricas de Cultura parceiras da Tratore são as unidades administradas pela POIESIS – Instituto de Apoio à Cultura, uma organização social que gere programas e projetos com ênfase na difusão da cultura. Hoje, a POIESIS administra as Fábricas de Brasilândia, Capão Redondo, Jardim São Luís, Vila Nova Cachoeirinha e Jaçanã.

Se você frequenta ou mora perto de alguma dessas unidades, procure algum funcionário da Fábrica de Cultura para se informar sobre o Atalhos Sonoros. Fique atento, por meio das páginas da Tratore e das Fábricas de Cultura no Facebook, sobre as datas das atividades realizadas nas Fábricas, como os pocket shows.

Leia também:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s