Dicas Tratore: Entenda o crescimento dos independentes no mercado fonográfico global em 2018

Print

por David Dines

Nesta semana, a Worldwide Independent Network (WIN), organização mundial que representa a música independente em questões globais de mercado e negócios, lançou seu relatório anual, o Wintel.

Conheça os resultados do último ano e alguns dos principais pontos levantados pelo relatório, elaborado a partir de dados coletados em 33 países:


1. A arrecadação do mercado fonográfico continua crescendo – com os independentes à frente

O relatório apontou que a arrecadação total do mercado fonográfico cresceu 10,9% em relação ao ano anterior, hoje representando US$ 6,2 bilhões. Os independentes cresceram 11,3% e as empresas ligadas a grandes gravadoras, 10,2%. Hoje a arrecadação vinda apenas dos independentes representa 39,9% de toda a renda que circula no mercado fonográfico.

2. O streaming continua sendo líder do mercado mundial

Segundo o Wintel 2018, a arrecadação global do streaming cresceu 46% no ano, com a América Latina em espaço de destaque mundial, com incremento de 17% na arrecadação total e de quase 50% no streaming.

De forma correlata, o número de assinantes das plataformas digitais também teve um grande aumento no período. Se no ano anterior eram 64 milhões em todo o mundo, os serviços de streaming agora contam com mais de 176 milhões de usuários globalmente.

3. O crescimento do faturamento do streaming tem levado a mudanças na dinâmica dos selos — e a uma tendência maior à estabilidade no meio independente

O desempenho fez com que a arrecadação de streaming para companhias independentes crescesse 46% em 2017, chegando a US$ 3,1 bilhões. Esse valor representa hoje 44% de toda arrecadação dos indies — no ano passado, essa rubrica representava 33% do arrecadado. É provável que o streaming passe a representar mais da metade da renda dos selos independentes em um futuro próximo.

A pesquisa também aponta para uma tendência encorajadora em relação ao investimento dos independentes no desenvolvimento de artistas a longo prazo, e que o formato álbum representa mais uma vantagem do que um risco para o setor na era do streaming. Com as grandes gravadoras aumentando consideravelmente a aplicação de seus recursos de marketing em faixas individuais, os independentes estão investindo na construção de carreiras a longo prazo, e desenvolvendo negócios sustentáveis como resultado dessa postura.

Outro reflexo dessa estabilidade crescente e da conexão entre artistas e selos/distribuidoras é o fato de que, em 2018, 76% dos músicos e bandas que assinaram com independentes escolheram renovar seus contratos ao fim do período inicial . No Brasil, esse número chega a 94%.

4. Também cresce consideravelmente a arrecadação de artistas que assinam diretamente com distribuidoras independentes

Segundo o relatório, a arrecadação vinda do streaming para contratos diretos entre artistas e distribuidoras cresceu de US$ 94 milhões no ano anterior para US$ 101 milhões.

Leia o relatório completo (em inglês): http://winformusic.org/files/WINTEL%202018/WINTEL%202018.pdf

Leia mais:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s