Como integrar storytelling à sua carreira musical

Captura de Tela 2020-01-22 às 10.33.44

por David Dines

O storytelling, ou narração de histórias, é um recurso hoje muito utilizado no marketing e na publicidade como uma maneira de cativar um público maior em torno de um produto ou trabalho criativo. A música é um mercado em que o storytelling é essencial na construção da marca de um artista ou banda, mas isso não precisa ser feito de uma maneira rígida e sem alma – queira ou não, você já está fazendo storytelling sem perceber.

Saiba mais:


Primeiro, é importante entender a história geral que a sua carreira conta. Mesmo que você não queira, suas obras, suas letras, sua maneira de se apresentar, a maneira com que você interage nas redes sociais, tudo isso é parte de uma história que está sendo contada sobre você e sua música. Tudo isso oferece um contexto que será absorvido de forma subliminar pelo público – opiniões, escolhas, estéticas, humor, onde o artista se localiza em uma estrutura social maior, seus desejos, com o que se importa e se relaciona, e por aí vai.

Sua história enquanto carreira pode ser o que você quiser. Pode ser inteiramente fictícia, caso você trabalhe com personas e personagens, como pode ser integralmente real. Não há fórmulas. No entanto, é importante notar o que é a sua história e a forma como ela está sendo contada para ver se você não está se comunicando de maneira errada, afastando o seu ouvinte/fã/seguidor em potencial ao invés de chamá-lo para perto.

Caso você não saiba ainda qual é a sua história, é hora de se debruçar sobre ela, antes de tudo. Abra uma nota no celular, um documento no computador ou pegue papel e caneta, e comece a escrever sobre sua história. É possível que coisas que você considere desimportantes pareçam fascinantes para alguém, então não deixe nada de fora. Qual foi o ambiente em que você cresceu, ou que sua banda surgiu? Como você começou a tocar? Você tem alguma grande experiência formativa, seja ela positiva ou negativa? Esses assuntos reverberam na sua música? Que outros assuntos te interessam, além da música? Caso você não consiga acessar isso claramente, peça ajuda de um amigo ou de alguém próximo para te entrevistar. Todas essas informações serão aproveitadas de alguma forma.

Há alguns cuidados a serem tomados, no entanto. O primeiro é não se encaixotar em uma narrativa – tome cuidado para não priorizar uma história com a qual você se sinta limitado/a ou possa não se identificar mais no futuro. Outra precaução é não exagerar na história. Se você se dedica profundamente a determinado assunto (digamos, jardinagem, moda ou direitos dos animais) e aquilo faz parte da sua vida, vale a pena utilizar no seu storytelling – mas, se for algo com que você não tenha uma relação tão profunda, é melhor deixar de lado. Se há partes da sua história formativa com as quais você não se sente confortável falando, mesmo que deem ótimas histórias, não vale a pena abordá-las. Pode ser que você tenha que dar várias entrevistas sobre esse assunto, e se vai ser algo traumático ou desconfortável, é melhor não. Não force a sua história, em nenhum momento. E, claro, mentiras são desaconselhadas – se descobertas, seu público pode se sentir traído e te dar as costas a qualquer momento.

Muito da forma de você contar a sua história vai dizer do nível de conexão com quem te ouve e te segue. Cada post nas suas redes sociais vai acrescentar uma frase nessa história. Uma assessoria digital ou de comunicação pode te ajudar nesse caminho, mas não vai entregar todas as respostas que você precisa, porque o storytelling também é parte das suas canções, das suas escolhas artísticas e, em um escopo geral, da sua vida.

Portanto, esteja atento/a. Tanto à sua vida e seu empreendimento criativo, quanto ao contexto em que seu trabalho artístico vai se desenvolver. Autenticidade é essencial, mas, como o mercado de música envolve também tornar-se notícia, é importante entender o que são esses critérios de noticiabilidade e como eles se alinham ao que você já vem fazendo. Preste atenção nos veículos de imprensa que mais te interessam. Observe os temas, os ângulos, as abordagens. Nenhum jornal ou portal de real relevância vai publicar “Artista lança ótimo álbum”, apenas – sempre há uma boa história sendo contada junto.

Se sua música é inspirada pelas durezas da vida cotidiana, as diferentes formas de amor, a injustiça da estrutura política ou a beleza da natureza brasileira, expresse isso em todos os meios cabíveis. Mas tenha o cuidado de sempre puxar o seu interlocutor para perto, e não afastando-o, para que te admire de longe. Não faça de um pensamento só seu – convide o público para refletir com você. Afinal, grande parte dos públicos é formada por identificação pessoal, além da afinidade artística. Dessa maneira, você estará em uma boa posição para conectar com mais fãs e nutrir a atenção de quem já gosta da sua música.

Leia também:

Tratore é a maior distribuidora de música independente do país, com mais de 10 mil artistas em catálogo. Desde 2002, disponibilizamos álbuns, EPs e singles em lojas físicas e digitais do Brasil e do mundo. Para distribuir sua música conosco, acesse: http://www.fonomatic.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s