4 perguntas frequentes sobre lives musicais

Livestream.Concert.Sax_-1020x574Foto: iStock

por David Dines

Para os artistas, as transmissões ao vivo tornaram-se a principal possibilidade de apresentação ao público durante o distanciamento social. No entanto, com a mudança das políticas e práticas de várias plataformas e entidades artísticas, alguns cuidados estão sendo necessários de antemão. A Tratore responde quatro perguntas feitas com grande frequência sobre a realização de uma live:


1. Por que preciso pedir liberação à minha distribuidora para fazer uma live no YouTube?

O YouTube, com sua ferramenta de Content ID (identificação de conteúdo), rastreia automaticamente qualquer conteúdo presente na plataforma, buscando reivindicar usos de materiais com direitos reservados. A Tratore e todas as distribuidoras e gravadoras têm acordo com o YouTube para a utilização dessa ferramenta, visando a monetizar o uso das gravações originais em benefício dos artistas e também remover qualquer uso considerado indevido. Como esse rastreamento é feito por inteligência artificial, as lives também estão sujeitas a passarem por essa conferência. E, caso o algoritmo entenda que é o fonograma original que está sendo tocado, há risco de a transmissão ser derrubada.

Por esse motivo, o ideal é que você contate sua distribuidora (no caso da Tratore, mande um e-mail para contato@tratore.com.br) pedindo a liberação (ou “whitelisting”) dessa live. O que acontecerá é que o YouTube deixará de reivindicar qualquer direito no link em questão durante o período de realização da live. É importante enviar o link do canal (ou da própria live, caso já esteja no ar), data e horário de transmissão. Não é necessário enviar setlist. É importante que esse pedido seja feito com a maior antecedência possível.

2. Devo pedir liberação à distribuidora para fazer uma live no Facebook ou Instagram?

No caso do Facebook, sim. Para esta plataforma, que também conta com uma ferramenta de identificação de conteúdo, recomenda-se que o artista peça a liberação (whitelisting) da fanpage em questão com antecedência mínima de 2 semanas. Dessa maneira, não haverá riscos de a live ser derrubada. Essa liberação só pode ser feita para fanpages – páginas pessoais não podem passar pelo processo de whitelisting.

3. Quando pagar e quanto deve ser pago ao ECAD sobre minhas lives?

Neste momento, o pagamento é necessário apenas quando suas lives forem patrocinadas e exibidas em canais/páginas baseados no Brasil. O ECAD tem pedido 5% do valor integral do patrocínio, enquanto a UBEM (União Brasileira das Editoras de Música) tem pedido outros 5%. Ambas as porcentagens são para repasses a compositores e editoras, como feito normalmente em shows. Se não há patrocínio, nenhum pagamento precisa ser feito. Outros territórios estão sujeitos a outras práticas.

4. Caso eu interprete canções compostas por outros artistas, preciso licenciá-las?

É recomendado que sim, uma vez que esse material também ficará disponível ao público posteriormente em meio digital. A Tratore também pode realizar esse serviço para nossos distribuídos – fale conosco pelo contato@tratore.com.br.

Leia também:

Tratore é a maior distribuidora de música independente do país, com mais de 10 mil artistas em catálogo. Desde 2002, disponibilizamos álbuns, EPs e singles em lojas físicas e digitais do Brasil e do mundo. Para distribuir sua música conosco, acesse: http://www.fonomatic.com.br

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s