3 dicas básicas para impulsionamento de conteúdo musical nas redes

por David Dines

Todas as principais redes sociais contam com formas orgânicas e pagas de entrega do seu conteúdo. No entanto, um fator que faz a diferença para a maioria dos artistas é encontrar a maneira mais adequada de impulsionar. Confira 3 dicas básicas da Tratore para começar a fazer bons recortes de impulsionamento e desenvolver suas estratégias:


1. Conheça o seu público

Hoje, com ferramentas de métricas como Spotify for Artists, Deezer for Creators, Apple Music for Artists e Amazon Music for Artists, além do próprio YouTube Studio, é possível entender quais recortes de público respondem mais à sua música, em termos de idade, localidade, gênero e outros artistas ouvidos, entre mais informações. Com isso, é possível desenhar sua comunicação – e a estratégia de impulsionamento – para que seja a melhor possível junto a esse grupo mais engajado de ouvintes.

2. Conteúdo e segmentação

Públicos diferentes exigem conteúdos distintos. É importante impulsionar conteúdos para a sua base de fãs já existente, de modo a dar suporte ao alcance orgânico, pelo qual a mensagem geralmente não chega à totalidade desses seguidores. Mas, se você está impulsionando para um público que ainda não te conhece, é importante que o post capture a atenção e leve naturalmente o usuário a consumir sua música, seja na própria publicação ou a partir de uma chamada para ação.

Se você está impulsionando uma postagem que seja apenas uma imagem estática, como a capa do novo álbum, priorize impulsionar este conteúdo para quem já conhece a sua música. Se você quiser patrociná-lo para outros públicos, uma imagem não dirá nada: é necessário tornar a postagem mais convidativa e mostrar que a música é o objeto de interesse. Inclua tanto uma forma de experiência da sua música (inserindo a capa em um vídeo, sonorizado com uma das faixas do álbum, por exemplo) quanto uma chamada para ação (“faça o pre-save”, “escute o primeiro single”, etc.) para otimizar esse primeiro contato.

Caso você esteja realizando ações localizadas, como um show ou uma turnê, restrinja o alcance do seu impulsionamento para quem te conhece nessas localidades, ou para demografias-alvo que já conversam com sua música nas cidades em questão e seus arredores. Não faz sentido impulsionar essas ações para outros recortes de lugar.

3. Testes como ferramentas estratégicas

Como é possível impulsionar nas redes por valores pequenos, procure não investir uma grande soma em apenas um formato de conteúdo, no primeiro momento. Se puder, faça o chamado teste A/B: crie duas postagens sobre o mesmo assunto, mas com abordagens inteiramente diferentes – seja no conteúdo, seja na forma de impulsionar -, e analise os resultados. A resposta do público precisa ser avaliada, sempre, para entender o que deu certo e porquê, e onde a forma de comunicação pode melhorar. As respostas de um impulsionamento podem inclusive dar dicas sobre como o conteúdo orgânico deve ser tratado e modificado, em favor da resposta do público interessado.

Leia também:

Tratore é a maior distribuidora de música independente do Brasil, com mais de 30 mil artistas em catálogo e 8 mil contratos ativos. Desde 2002, disponibilizamos álbuns, EPs e singles em lojas digitais e físicas do Brasil e do mundo. Para distribuir sua música conosco, acesse: http://www.fonomatic.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s