Entrevista: Gereba Barreto fala sobre seu disco “Luas do Gonzaga”

Recentemente o disco “Luas do Gonzaga” chegou para distribuição aqui na Tratore. Organizado e dirigido pelo violonista, cantor e compositor baiano Gereba Barreto, se trata de uma impressionante coleção de composições de Luiz Gonzaga que fogem do forró, comumente associado ao mestre da sanfona. Essas composições são da década de 40 e 50 e eram inicialmente instrumentais. Gereba nos concedeu uma entrevista contando um pouco como foi organizar essas músicas e transformá-las em canções através de vários, e importantes, letristas, músicos e cantores. Entre os nomes podemos citar algumas das maiores personalidades da música brasileira como: Gilberto Gil, Elba Ramalho, Raimundo Fagner, Jair Rodrigues, Dominguinhos, Jussara Silveira, Lenine, Jorge Vercillo e Zeca Baleiro.

Faca_CD_Luas.cdr

Segue a entrevista com Gereba:

Da onde veio a idéia de fazer o disco Luas do Gonzaga?

Gereba: A ideia veio depois do encontro que tive com Luiz Gonzaga em 85, la em sua Fazenda Exu quando, num fim de tarde, ele me mostrou a sua produção dos anos 40 que não eram baiões e sim de belas valsas choros dedicados principalmente às mulheres como Wanda, Mara, Veronica, Ligya, Marieta e outras, e aquilo me chamou muito a atenção, mesmo sem ouvi-las, pois estavam em gravações de 78 rotações e já não tinha aparelho pra tocar, muitos anos depois entrei em contato com pesquisadores como Assis Angelo,(São Paulo) Perfelino Neto (Bahia) e Paulo Wanderlei (Pernambuco) do site www.luizluagonzaga.com.br que tinham digitalizado e me ajudaram na pesquisa, depois comecei a reformatar do meu jeito, claro sem alterar o original, depois disso comecei a escolher os letristas e fazer as consultas e todos aderiram.

Zeca Baleiro colocou letra em MARA, ele mesmo canta, Fernando Brant em MARIETA interpretada por Jair Rodrigues, Veronica por Lirinha, ele mesmo canta comigo, Luar do Nordeste por J.Velloso, interpretada por Na Ozzetti, Numa Serenata por Carlos Pitta quem canta é Raimundo Fagner, Ligia por Abel Silva quem canta é Jorge Vercilo,Sanfona Dourada por Maciel Melo, quem canta é Dominguinhos e o próprio Maciel, Wanda por Tuzé Abreu quem canta é Flavio Venturini, Passeando em Paris por Bené Fonteles, quem canta é Elba Ramalho, Gilberto Gil em 13 de dezembro, por ele mesmo, e por aí vai.

GEREBA FOTO Como você conseguiu reunir tantos grandes nomes da música brasileira para o projeto?

Gereba: Primeiro procurei os amigos meus e de Luiz Gonzaga e todos acreditaram no trabalho e fomos em frente, mas foi um processo muito demorado, 5 anos montando esse quebra cabeça, mas no final contamos com 35 musicos de ponta, inclusive a participação brilhante do Mestre Dominguinhos e seus 12 principais discípulos como Oswaldinho, Cesar do Acordeon,Genaro,Silvinho,Cicinho, Bombarda e outros, mais a grande galeria de interpretes consagrados com Lenine, Zeca Baleiro, Gil, Elba, Margareth Menezes, Fagner,Dominguinhos, Jussara Silveira, Maciel Melo, Adekmario Coelho, Jair Rodrigues, Flavio venturini e outras feras.

Qual foi o processo de composição dessas canções? As músicas já existiam e as letras foram escritas com base nelas?

Gereba: A primeira coisa que fiz foi ouvir, aprender bem e harmonizar no meu violão, para depois gravar e mandar para o futuro parceiro de Seu Luiz, um processo demorado, muitos dos letristas demoravam pra fazer a letra e eu tinha que as vezes ficar cobrando, foi uma cumplicidade bonita, uns pressionando os outros numa boa, mas tivemos um final feliz, alguns me diziam que estavam demorando porque estavam caprichando para se tornarem parceiros dignos do Rei.

De que época são essas composições de Luiz Gonzaga?

Gereba: São composições dele de 1941 a 1953.

Quando e como foram feitas as gravações?

Gereba: Fiz todas as bases em Salvador e as vozes, orquestra e muitos intrumentistas gravei em 6 Estados e em vários estudios.

Muito tem-se falado de Luiz Gonzaga por causa do centenário de seu nascimento, a intenção desse disco foi a de mostrar uma faceta desconhecida do trabalho do mestre?

Gereba: Exatamente isso, mas não fiz um disco pensando no Centenario, fiz esse coletivo com grandes nomes da MPB pra cumprir quase que uma missão determinada por ele, a de realizar seu sonho, quando expressou pra mim em 85 essa sua vontade de mostrar para o mundo sua outra face cancioneira, que vai além do Baião, e taí: MISSÃO CUMPRIDA.

Veja onde encontrar e ouça as prévias das músicas no site da Tratore!

A Tratore na próxima edição da revista Artefacto Beach & Country

A revista da Artefacto Beach & Country chega essa sexta-feira na sua décima edição com uma ótima matéria sobre a Tratore, na qual o diretor Maurício Bussab fala, entre outras coisas, como funciona o nosso serviço de distribuição assim como sobre a exportação de CDs e distribuição digital.

A publicação feita especialmente para a loja Artefacto Beach & Country trata de  arte, música, literatura, viagem, arquitetura, design e decoração. Em cada edição um tema geral é abordado, no caso dessa décima edição o tema é Cultura Popular, daí o interesse de vir conversar com a Tratore sobre o que está acontecendo de interessante no mercado musical hoje em dia.

 Além de pequenos destaques para Rhaissa Bittar, Carlos Careqa, Junio Barreto, Fernandinho Beat Box, Fabiana Cozza e 5 a Seco. Eles conversaram com dois artistas distribuidos pela Tratore, O cantor Tibless e o percussionista e produtor Dalua.

A revista virá encartada na edição desse mês da Casa Claudia Luxo, à venda nas bancas, e também estará em distribuição nas lojas Beach & Country nos seguintes endereços:

SÃO PAULO
Jardim América | Av. Brasil, 1.823

D&D Shopping | Av. das Nações Unidas, 12.555
Loja 109 – Piso Boulevard

RIO DE JANEIRO
Casa Shopping | Av. Ayrton Senna, 2.150 – Bloco K
Fotos de Paulo Brenta

Taiyo Record: Uma conversa com Ryosuke

Desde 2005, o nosso principal parceiro no Japão é o casal Ryosuke e Shino Itoh. Sempre importando uma quantidade significativa de uma seleção apurada do que é produzido no Brasil, Ryosuke faz questão de mostrar o que tem de melhor do atual na música Brasileira para o público Japonês.

Fizemos uma pequena entrevista por e-mail com o Ryosuke para saber um pouco mais sobre sua loja, a Taiyo Record  e conhecer melhor essa grande figura que, além de vendedor e pesquisador da música brasileira, também é músico e produtor de seu próprio selo independente.

Continuar lendo